Acabe com o medo de voar antes do próximo voo

Baixe o e-book gratuitamente e aprenda a controlar suas emoções

Você já deixou de curtir momentos inesquecíveis com a sua família por medo de voar?

Você já perdeu oportunidades de trabalho pelo medo de avião?

Você tem que tomar remédio para poder voar?

Você começa a sofrer muitos dias antes da sua viagem?

Se você respondeu “sim” para pelo menos duas dessas perguntas, você tem um problema que está te impedindo de crescer em muitos aspectos da sua vida.

Mas, agora te pergunto: você quer resolvê-lo?

Se você novamente respondeu “sim”, leia esta página até o final e descubra um método revolucionário que vai te ajudar a perder o medo de voar de uma vez por todas!

As férias estão chegando? Aquela chance de viajar pela empresa e ascender na carreira finalmente aconteceu?

E então você pensa, já conformado, novamente vou perder tudo isso por causa do meu medo de voar!

É sempre assim, só de pensar em entrar em um avião você pode sentir mudanças no seu corpo: o suor frio, a sensação de vazio no estômago, as mãos geladas, a tremedeira... O medo toma conta

Parece incontrolável, não é?

A aceleração, a velocidade, a altitude, a vibração e os ruídos característicos do avião são estímulos que ativam naturalmente o sistema nervoso, desencadeando todas essas sensações físicas.

Calma, você não está sozinho!

Segundo uma pesquisa do Ibope, 40% da população brasileira tem medo de voar.

Eu, por sorte, nunca tive medo, mas já pilotei para várias pessoas que têm e sei como é difícil. Basta a aeronave dar uma balançadinha que a pessoa já fica pálida e o nervosismo aumenta, e, então, é mesmo muito complicado manter o controle.

Entre os sintomas mais comuns do medo de voar estão perda de peso, nervosismo, insônia, irritabilidade, preocupação excessiva, sensação de falta de ar e tensão muscular.

A verdade é que os graus de medo variam de pessoa para pessoa, mas o resultado é sempre o mesmo: a perda de oportunidades.

Por causa desse medo, você já passou por muita coisa

Já perdeu muitos momentos com os seus familiares e deixou de ter aquela proximidade que você desejava ter; já deixou de ganhar uma promoção no trabalho, e, assim, estagnou na carreira; perdeu noites de sono; nem mesmo conseguiu se alimentar direito.

Enfim, o seu medo afetou a sua saúde e te privou de conhecer pessoas, lugares, de viver momentos importantes e até mesmo de ganhar mais!

E, além de tudo isso, você ainda tem que lidar constantemente com a vergonha e com o constrangimento que o seu medo causa. As piadinhas, o “pouco caso” e a chacota te afetam tanto quanto a imagem do avião caindo, afinal, admitir uma fraqueza é doloroso para qualquer um.

Por isso, ao longo da minha longa carreira como piloto, já vi muitas pessoas tentando esconder seus medos com sedativos ou álcool. Alguns programam tanto a viagem que acabam chegando um dia antes ao local de destino somente para se recuperarem da auto medicação tomada para enfrentar a situação.

O que isso quer dizer? Um sofrimento contínuo, que acontece antes, durante e depois da experiência de voar, um ciclo que se irradia para os filhos, companheiros e amigos mais próximos.

O medo de voar é coisa séria!

As mãos suadas e o coração acelerado causados pelo pânico podem ser tão intensos que algumas pessoas desenvolvem um estresse que se revela semanas antes da viagem, e que fica muito tempo depois da chegada.

Ou seja, todo esse medo, se não trabalhado, pode resultar em um transtorno de estresse pós-traumático, aquele caracterizado pela vivência de uma sensação de quase morte e pela criação de memórias traumáticas.

Não há outra palavra para descrever a sensação que não seja “terror”.

Como isso afeta a sua vida?

Um trauma desse nível pode passar a assombrar constantemente a sua vida, deixando um rastro de memória duradoura e muito perturbadora.

O que, com toda a certeza, muda a forma como você irá processar novas informações e experiências, tornando-as negativas e ficando mais sensível e vulnerável do que você já fica quando tem que encarar o seu medo.

Em outras palavras, depois de experimentar um trauma, você vê o mundo com outra lente. Uma lente, digamos, bem mais distorcida.

Por tudo isso, mais do que enfrentar o seu medo, você precisa aceitá-lo e tratá-lo!

Agora, imagine deixar para trás todo esse sofrimento!

Imagine a sua vida sem o medo... Imagine abolir de sua vida a necessidade de tomar remédios para voar… Imagine viver sem aquela sensação horrível, que te consome toda vez que você sabe que vai ter que viajar de avião... Imagine o quanto a sua vida se abriria a novas oportunidades!

Sei que agora parece impossível viver sem sentir esse medo, mas eu digo com toda sinceridade, só há um jeito de amenizar a sua dor: você precisa desenvolver a capacidade de avaliar a sua situação de forma lógica em vez de emocional.

Chegou a sua vez de voar em paz!

Eu sei o quanto você tem tentado se livrar desse medo - muitas vezes sem sucesso - mesmo sabendo que ele vai te paralisar.

O que você tem que entender é que todos estamos sujeitos a ter medo, afinal, tudo o que desconhecemos nos gera medo.

Todo o ínicio de uma experiência é repleto de desconfiança, insegurança, incertezas, enfim… Medo.

Você é capaz de superar os seus medos!

Pense na primeira vez que você andou. Pense em todo o processo pelo qual você teve que passar, desde que começou a engatinhar até finalmente ficar em pé.

Você provavelmente não se lembra, mas você com certeza caiu, tropeçou, escorregou, engatinhou e, por fim, andou. Você teve que superar seu medo de cair.

Mesmo caindo, você continuou a tentar andar. Mesmo confuso, frustrado e lutando contra o seu medo, quando você conseguiu se equilibrar, o medo desapareceu e você simplesmente andou. Sempre um pé na frente do outro, e você seguiu em frente.

É esse equilíbrio que você precisa encontrar agora, não mais para andar, mas para voar.

Esse equilíbrio é aprendido, desenvolvido. E uma vez desenvolvido, você terá a segurança de que irá conseguir, mesmo que ainda não tenha conseguido.

“Mas, como faço para conseguir esse equilíbrio?”, você deve estar se perguntando...

Com conhecimento e autocontrole!

Pois é, a principal causa do medo de voar vem de algo que pode ser facilmente resolvido: o desconhecimento, que, por sua vez, causa o seu descontrole emocional.

42% dos brasileiros dizem não confiar em uma máquina que pesa toneladas e afronta as leis da gravidade.

Mas o que muitos não sabem é que a chance de se morrer em um acidente de avião é de uma em vinte mil, se comparada aos acidentes de carro - que é de uma em cem - ou a doenças cardíacas - quando cai para uma em cinco.

E, por não ter conhecimento ou por não conseguir manter o controle, pessoas com medo de voar simplesmente ignoram que milhões de pessoas voam com segurança todos os dias, e acabam vendo os acidentes como uma confirmação de seus medos.

Mas essa auto-afirmação não é real. Ela surge como mecanismo de defesa do organismo para justificar e racionalizar um medo que é, essencialmente, emocional. Nem mesmo as garantias estatísticas, históricas e científicas de que voar é uma das atividades mais seguras do mundo, costumam ser capazes de acalmar quem tem medo.

Isso porque tendemos a racionalizar nossos medos, tornando nossa emoção (ou nossos limites emocionais) verossímeis, ao invés de racionalizar, apenas, o fato concreto.

O que, então, é necessário fazer?

O controle emocional é a chave para superar seus medos

Foi comprovado por diversos estudos que as pessoas que dominam as suas emoções possuem melhores resultados na vida e, consequentemente, alcançam seus objetivos com mais facilidade.

Não existe emoção boa ou ruim, mas sim emoções bem utilizadas, porque cada emoção leva a uma ação. Por isso, você precisa aprender a regular o seu controle emocional de acordo com o seu objetivo.

E, como eu te disse, existe um método incrível que é capaz de minimizar o seu medo, acabar com os seus fantasmas e te devolver uma vida tranquila. O método que fará você atingir, finalmente, o seu equilíbrio, o seu controle emocional.

Com ele, você vai aprender a mudar o seu estado emocional por meio de técnicas muito simples!

Prepare-se!

O que você terá em suas mãos a partir de agora é a ferramenta que vai te ensinar a dominar as emoções de uma vez por todas! E o melhor: totalmente de graça!

E quem sou eu para te ensinar tudo isso?

Quantos degraus temos que subir para atingir o céu?

Eu me lembro bem, a minha vontade de voar surgiu quando eu tinha 5 anos. Eu morava em uma casa simples com um terraço, lugar importante onde aprendi a andar de bicicleta e soltar pipa. Era impressionante ver os movimentos que a pipa fazia com o vento, aquela beleza tão sublime me encantava. Várias vezes, me sentia voando com a pipa…

Fui crescendo e a vontade de voar era cada vez maior, até que chegou o momento de escolher uma profissão e, com ele, o primeiro obstáculo: conseguir me tornar piloto. Afinal, ser piloto era uma realidade muito distante da minha, pois era muito caro e exigia muito tempo de estudo.

Mesmo sabendo que as dificuldades seriam muitas, aos 16 anos apostei no meu sonho e comecei a estudar em uma escola de aviação civil. E a minha vontade de realizar esse sonho era tanta, que o mundo foi conspirando para que tudo desse certo e, finalmente, vi meu sonho se tornar realidade: aos 19 anos iniciei minha carreira como piloto. Trabalhei como instrutor de voo e depois tive a oportunidade de voar em um taxi aéreo e transportar pessoas ilustres e conhecidas da sociedade.

Meu segundo obstáculo foi o preconceito que tive de enfrentar. Quando alguns passageiros viam como eu era jovem, sentiam medo, insegurança, e isso me afetava, me entristecia. Depois de um tempo passando por isso, resolvi ajudar essas pessoas. Meu maior desejo era fazer com que elas também sentissem aquela sensação libertadora de voar, as pessoas mereciam aquilo e eu sabia que o medo as impedia.

Eu me sentia na obrigação de utilizar todo o meu conhecimento e fazer com que a pessoa que estivesse comigo se sentisse segura, confortável e relaxada durante todo voo. O meu maior desejo era que todos superassem o medo e conseguissem controlar qualquer emoção ruim que pudesse incomodá-los durante o voo.

Então comecei a desenvolver técnicas para gerar credibilidade e ganhar a confiança das pessoas que voavam comigo, e tive muito sucesso. Hoje sou muito grato a essa fase da minha vida profissional, porque pude entender muito sobre o medo das pessoas e, assim, realizar o meu grande desejo de ajudá-las.

Então, veio o terceiro obstáculo de minha carreira: depois de mais de vinte anos, o prazer de voar já não me motivava mais. Cheguei a pensar em parar de voar, mudar de profissão. Eu precisava de um propósito, um sentido para a minha vida. Eu não entendia o que estava acontecendo… Eu havia chegado em uma posição muito boa na empresa, me tornei responsável pelas operações aéreas da empresa, estava voando aeronaves excelentes, mas ainda sim me faltava algo que eu não sabia o que era. Quantas vezes não nos sentimos assim?

Foi então que eu tive contato com o coaching, e aquilo abriu a minha mente. Em busca de uma resposta e para recuperar a energia que eu havia perdido, fiz formações em coach, neurolinguística, hipnose clássica e Ericksoniana, diversos cursos de liderança, pratiquei yôga para aprender mais sobre respiração e meditação, e, por fim, comecei a fazer palestras em seminários de segurança de voo.

Mas eu ainda estava voando, cumprindo minha obrigação. Quanto mais eu tentava me afastar do voo, mais eu era solicitado e requisitado a voar, parecia que algo me prendia naquele espaço. Parecia haver algo importante que eu ainda tinha que realizar na aviação, mas eu não sabia o que, e foi no ano de 2015, quando o Brasil entrou em uma crise sem data para terminar, que a aviação executiva da qual eu fazia parte começou a reduzir consideravelmente os voos e reduzir o quadro de funcionários. Eu estava completamente sem perspectiva e sem motivação. Onde estavam aqueles sonhos de infância?

Inesperadamente, assim como as coisas boas da vida acontecem, eu comecei a atender alguns clientes de coach em minhas horas vagas, ajudando essas pessoas a atingirem suas metas e superarem o medo de voar. Eu finalmente me sentia feliz de novo, pois, agora, além de todo o conhecimento técnico e experiência na aviação, eu havia adquirido ferramentas poderosas para ajudar as pessoas.

Foi essa vasta experiência lidando diretamente com os diferentes passageiros, diferentes medos, diferentes necessidades e tendo que criar um ambiente de harmonia, que trouxe o conforto e a segurança que me fizeram criar um método.

Com o decorrer dos anos, observei que as pessoas que tinham medo de voar apresentavam um padrão de pensamento peculiar, e que o medos e ansiedade que eles sentiam eram bem parecidos. Com isso em mente, comecei a mapear esses padrões e estudar com detalhes para entender de que forma eu poderia ajudar essas pessoas com mais efetividade.

Percebi também que utilizando algumas técnicas de linguagem e mudança de estado eu conseguia obter excelentes resultados em pouco tempo, o que me alegrava muito, porque aquela pessoa que antes vivia em um pesadelo só de pensar em ter que voar agora conseguia realizar um voo com tranquilidade e sem aquela preocupação enorme que a sufocava. E essas foram minhas grandes realizações.

E agora quero ajudar você no seu crescimento emocional, pessoal e profissional, porque eu tenho certeza que a sua capacidade de superar desafios é muito maior do que você pensa que é.

Recupere seu autocontrole e perca o medo de voar!

Baixe agora mesmo o e-book “9 técnicas para mudar o seu estado emocional antes do voo, mesmo que você tenha muito medo de voar” e transforme o seu medo em uma história de superação. Com este e-book você será capaz de desenvolver a consciência do seu estado mental e mudar o seu pensamento, fisiologia e respiração para alcançar o seu controle emocional definitivo e nunca mais ser refém dos acontecimentos e emoções. E ainda aprenderá a utilizar estratégias simples e recursos e ferramentas que irão fazer toda a diferença em sua vida emocional.

As oportunidades estão passando, não espere o próximo voo para reverter essa situação!

 

Voe Sem Medo © 2018 Termos de Uso | Políticas de Privacidade

%d blogueiros gostam disto: